A alegria do Senhor em tempos extremos

Muitos foram os momentos em que a crise foi registrada na bíblia, o povo de Deus foi perseguido, foi escravizado, foi invadido, roubado. Em algumas destas experiências parecia que era o fim da linha para os escolhidos. Dominados pelo Egito, pela temida Assíria. Levados cativos para a Babilônia o cruel império Medo-Pérsia, a Grécia e por último na época onde Jesus Cristo entrou em cena o grande império romano era quem dominava o mundo conhecido. A humanidade de modo geral também já experimentou grandes catástrofes e momentos de muitas dificuldades como a grande depressão, também chamada por vezes de Crise de 1929, foi uma grande instabilidade econômica que começou em 1929, e que persistiu ao longo da década de 1930, terminando apenas com a segunda guerra mundial. A Grande Depressão é considerada a pior e o mais longo período de recessão econômica do século XX. Este período de depressão econômica causou altas taxas, promoveu muita fome, miséria, suicídios e tantas outras mazelas humanas.

Uma crise mundial que vale lembrar foi a peste negra é a designação, que ficou conhecida durante a baixa idade média. A pandemia de peste bubônica que assolou a europa durante o século XIV e dizimou entre 25 e 75 milhões de pessoas, sendo que alguns pesquisadores acreditam que o número mais próximo da realidade é de 75 milhões, um terço da população da época. Penso que é muito difícil para minha geração tentar mensurar o que foi exatamente isso para quem viveu durante esta grande catástrofe humana. A segunda guerra mundial foi um conflito militar global que durou de 1939 a 1945, envolvendo a maioria das nações do mundo – incluindo todas as grandes potências. A guerra foi organizada em duas alianças militares opostas: os aliados e o eixo. Foi a guerra mais abrangente da história, com mais de 100 milhões de militares mobilizados. Quando penso nos cristãos que vivenciaram estes tempos difíceis. Minha pergunta é como eles experimentaram a alegria do Senhor? Será que da para sentir a alegria do Senhor em momentos extremos? Creio que a fé sobrevive em meio a estas e tantas outras experiências terríveis que expõe o homem a extremos. A alegria do Senhor não é necessariamente festa, mas convicção da existência e presença de Deus. No livro de 1 Pedro 1. 6 e 7 a Bíblia afirma: “ Nisso vocês exultam, ainda que agora, por um pouco de tempo, devam ser entristecidos por todo tipo de provação. Assim acontece para que fique comprovado que a fé que vocês têm, muito mais valiosa do que o ouro que perece, mesmo que refinado pelo fogo, é genuína e resultará em louvor, glória e honra, quando Jesus Cristo for revelado”. A alegria do Senhor é algo inexplicável para qualquer pessoa que não provou Jesus Cristo com Senhor e Salvador. A alegria do Senhor precisa ser alcançada pelo coração através da fé viva. Creio que é possível um servo de Deus abrir mão dela durante uma crise, mas esta alegria é um beneficio conquistado na cruz do calvário e disponível a todos. Como Paulo afirmou em Filipenses 4. 11 “apreendi o segredo de viver contente em toda e qualquer circunstância”.

Márcio Tunala

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s