Não Acredito no Amor

Em 2006 eu vivi uma experiência muito interessante. Eu estava fazendo um discipulado com uma jovem de 22 anos, era uma jovem que havia recém chegado à igreja, ela tinha muita dificuldade de se relacionar com os demais jovens e a cada encontro ela trazia muitas perguntas e me compartilhava um pouco de sua história familiar, que por sinal era bem complicada. Os dias foram se passando e em um determinado dia ao término do nosso estudo bíblico ao me despedir eu disse a ela que estava muito feliz com o desempenho dela, afirmei que ela era muito especial e que eu a amava muito. Disse a isso a muitos jovens e isso era sincero, de coração. O problema é que algo muito estranho aconteceu pela primeira vez, eu vi uma jovem aflita e desconcertada diante daquela declaração. Ela dizia repetidamente que eu não a amava. Você não me ama pastor, amor assim não existe. Eu tentei argumentar com ela sobre o meu sentimento, mas percebi que algo estava errado com o coração daquela jovem, conversando com ela pude perceber que eu estava diante de alguém que pela primeira vez na vida ouviu uma declaração de alguém que a amava. Sua família era demasiadamente desestruturada, havia um contexto de rejeição muito sério da parte de seus pais, precisei de muitos encontros para convencê-la que eu e outros jovens na igreja a amavam com um amor real.

Aquela jovem precisou apreender alguma coisa a respeito do amor. Quando Jesus fala do amor ao próximo no sermão do monte ele traz algo surreal, do jeito que ele espõe sobre o amor era incompreensível para aquela sociedade, aliás incompreensível para nossos dias também. Quando Jesus usa a expressão vocês ouviram o que foi dito ele esta citando algo conhecido e vivencial. Ele esta falando do estilo de vida da sociedade em seus dias, é como dizer vocês sabem o que se diz e que se vive hoje na nossa cultura. A jovem na qual me referi neste artigo teve uma grande dificuldade para aceitar o amor que ofereci a ela na mesma dimensão todos nós temos uma grande dificuldade de amar o próximo, o desconhecido, o diferente, o deseducado. O amor proposto por Cristo pelo semelhante é um amor que brota do coração dele para o nosso. Esta obra é realizada pelo Espírito Santo em nós. Só através do amor de Cristo em nós, podemos experimentar amar verdadeiramente desprovido de interesses. Para amar alguém precisamos de Cristo e para nos sentir amados precisamos de Cristo. Se Cristo vive em nós temos o amor de Deus para conceder a nosso semelhante sem que eles precisem nos recompensar.

João 3:16 Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.

Marcio Tunala

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s